producao musical

Produção Musical: Gravando a linha guia

E aí, pessoal, tudo bem?

Continuando a nossa série sobre produção musical, chegou a hora de começarmos a parte prática. E vamos começar falando sobre a gravação da linha guia.

A gravação da linha guia é um momento importante para o processo de produção musical pois marca o término do processo de pré-produção e inicia o processo de produção de fato.

Quando chegamos nesse estágio, já temos que ter o esqueleto da música bem definido, suas melodias, letra e riffs, etc.

É claro que ainda podemos mudar algo no processo mas normalmente quando chegamos aqui, já temos um norte e um caminho bem definido.

Alguns detalhes importantes para que a sua gravação da linha guia seja o mais eficiente possível.

1 – Tenha o BPM e o tom da música bem definido
É importantíssimo que o BPM (o tempo da música) e o tom (nota tônica) estejam definidos antes da gravação da linha guia para que você possa fazer o setup da sua DAW com essas informações. Isso vai ajudar você no processo de captação das trilhas definitivas depois, assim como ajustar samples e outros arranjos que dependam dessas informações.

2 – Grave utilizando o metrônomo
Outro fator importante. Quanto mais ajustado ao beat da música, melhor será o resultado da sua produção. Isso porque você conseguirá ter uma orientação que facilitará na cola dos instrumentos no momento de editar as tracks. Normalmente os músicos sempre dão uma saída do tempo e, se estiverem sem um metrônomo, essas saídas podem ser maiores e depois você terá dificuldades na edição.
Alguns músicos não se sentem a vontade no uso do metrônomo. Uma boa dica para essas situações é usar um beat próximo ao que a bateria fará para que o músico possa se guiar mais facilmente. Neste caso, pegue um sample ou faça um arranjo de um beat com uma bateria virtual e reproduza durante o trecho todo que será gravado pelo músico.

3 – Capriche na gravação
Por mais que a linha guia venha a ser descartada no final do processo, capriche em sua gravação. Isso porque ela será, como o próprio nome diz, a guia para todo o processo de gravação. E, se um guia está sem empolgação, sem vontade, seus guiados também não terão a vontade e o capricho necessários, entende? Então, dê o seu melhor!

4 – Utilize um leve tratamento na guia
Utilize efeitos de ambiência e um pouco de compressão para deixar a sua guia com um pouco mais de cara profissional. Isso vai motivar os músicos a gravar com mais vontade. Quando algo já soa profissional motivará ao próximo a gravar a fazer seu trabalho com mais afinco e dedicação.

5 – Grave a linha guia já com no mínimo 44.100 hz X 24 bits
É importante que você verifique se a configuração da sua DAW já está setada para no mínimo 44.100 de sample rate e com 24 bits de bit depth. Isso é pré requisito para que a sua gravação tenha a qualidade necessária para atingir níveis profissionais. Se você gravar com resolução inferior, depois não será possível alterar sem perder qualidade.

Seguindo essas pequenas dicas, com certeza seus resultados já serão melhores. Então, vamos por a mão na massa?

Se você tem algo a acrescentar sobre o assunto, deixe nos comentários e vamos trocar ideias.

No próximo artigo, vamos falar da criação, edição e testes dos arranjos.

Até lá!