Produção musical: como alcançar melhores resultados

Muita gente vem me pedindo conteúdos voltados à produção musical. Sendo assim, resolvi fazer um artigo, onde vou tentar abordar tudo o que for de extrema importância para a produção de uma música.

E, nada melhor do que começarmos pelo começo: a Pré-produção

Quando começamos nossos estudos na área de produção musical e, principalmente, quando começamos a por em prática e gravar de fato, muitas vezes pensamos em buscar informações e receitas prontas para conseguir aquele som perfeito, seja ele na voz, no violão, na guitarra, na bateria, etc.

Mas, embora encontremos por aí muitos materiais nesses sentido, muitas vezes ao aplicarmos estas receitas, o nosso resultado fica bem longe do desejado.

E eu vou te dizer o porquê!

Acontece que, no mundo do áudio, as variações e probabilidades são tão infinitas que fica impossível que uma receita funcione igualmente para muitas pessoas. São tantos fatores que contribuem para que uma gravação saia como desejado que é difícil prever e indicar um caminho 100% seguro e de sucesso.

As variações já começam no seu ambiente de gravação. E esse fator é ainda mais importante quando falamos de gravações caseiras em home studio. Além disso, toda a gama de equipamentos envolvidos, desde o microfone, passando pela interface, os instrumentos e até mesmo a pessoa que está executando, vão interferir no resultado.

Ou seja: não existe receita pronta para uma gravação de qualidade!

E, então, você vai me perguntar: e como é que eu vou saber chegar no resultado que eu quero?

E a resposta é simples: usando o seu conhecimento, sua memória musical e, principalmente, seus ouvidos.

Sempre que começamos um projeto musical, temos algo em mente de onde queremos chegar. Seja uma referência ou um estilo musical, seja algo que está dentro de nossa cabeça e que precisamos conseguir colocar para fora, transformando a nossa ideia em realidade.

E, então, partindo desse ponto, devemos começar a nossa busca, pesquisa e testes para chegar em um resultado de qualidade.

Vamos tentar montar um planejamento, seguindo este exemplo exemplo prático.

 

1º Passo: Referências

Antes de mais nada, vamos pensar na ideia que está em nossa cabeça e quais as referências que temos para o que queremos fazer.

Suponhamos que eu esteja querendo produzir uma música nova, onde minhas referências sejam as seguintes:

Artistas próximos ao que quero fazer: John Mayer, Bruno Mars, Ed Sheeran

Detalhes importantes:

  • música romântica
  • voz bem na cara
  • guitarras ao estilo blues
  • solo principal
  • levada de bateria simples

Muito bem, agora temos alguns dados relevantes e um pouco de informação da sonoridade que estou buscando, certo? Então, vamos ao segundo passo.

 

2º Passo: Pesquisas

Agora que temos a sonoridade planejada e chegamos a algumas informações de referência, chegou o momento de escutar essas referências e tentar entender algumas partes do processo de produção musical dessas referências. Isso vale também para quando estamos construindo arranjos e a própria execução da música.

Com as pesquisas, podemos entender melhor a sonoridade dessas referências, nos ajudando a entender e responder algumas questões, como por exemplo:

  • Quem são as influências dessas referências?
  • Quais os efeitos de ambiência, modulações e distorções harmônicas foram utilizados e como?
  • Quais os instrumentos tiveram maior destaque e quais tiveram menos e o que isso influencia no resultado da música?
  • Como foi trabalhada a voz? Os backing vocals?
  • Como está o nível de compressão e dinâmica da música? E a distribuição do pan?

Percebem como é importante todo esse processo e como vamos conseguir entender melhor a sonoridade daquilo que estamos querendo criar?

Pesquisa feita, vamos ao próximo passo.

 

3º Passo: Disponibilidades

Agora que você já sabe mais ou menos o que vai precisar fazer para encontrar o som que está buscando, chegou a hora de ver, entre as suas disponibilidades, se você conseguirá alcançar as sonoridades desejadas. É a hora em que conhecer os seus equipamentos e plugins fazem toda a diferença. E aqui, mais uma vez, mostro como é importante, mais do que ter um monte de plugins, conhecer e saber como usar cada um dos que você tem. E porque as vezes o menos é mais. Com menos plugins ou ferramentas, temos mais tempo para conhecer cada um deles(as) e dominar o seu uso, melhorando assim os nossos resultados.

Neste momento é importante também ter uma boa noção de compressores e equalizadores, seus diferentes tipos e o que podemos fazer com cada um deles. É importante também entender um pouco sobre distorções harmônicas. Entender desses assuntos e saber como alcançar resultados utilizando essas ferramentas lhe ajudarão a encontrar mais facilmente a sonoridade desejada.

 

4º Passo: Testando e construindo timbres

Chegou o momento de colocar todo o conhecimento adquirido com os passos anteriores em prática e ver, na real, o que vai funcionar e como vai funcionar. Aqui é a hora de começar a testar:

  • o posicionamento de microfone e qual microfone usar
  • quais plugins ou periféricos deverão estar inseridos e trabalhando já na captação e o que será adicionado depois
  • o que será gravado ao vivo e o que será introduzido depois, com overdubs
  • quais os efeitos serão usados na voz e nos instrumentos e qual a ordem de aplicação de cada um deles

E muitas outras coisas podem ser testadas, como:

  • a sala em que você vai gravar é a melhor escolha?
  • o instrumento escolhido é a melhor escolha?
  • a técnica vocal escolhida vai funcionar?

Enfim, este é o momento de praticar e testar o que poderá a vir  seu resultado final. Aí sim passamos para o último passo:

 

5º Passo: Iniciando a produção

Chegou a hora de por a mão na massa e começar a transformar todo o planejamento e estudo em algo real. Aplicando todo o aprendizado dos passos anteriores, com certeza seu resultado será 90% melhor do que seria sem praticá-los.

E aí, gostou? Fique a vontade para participar de nossas publicações, deixando comentários e sugerindo novos assuntos.

Até o próximo artigo.

Boas produções!

 

Deixe uma resposta