Aproveitando melhor o seu Home Studio

Algumas pessoas me perguntam porque ainda não conseguem bons resultados em suas produções, mesmo tendo equipamentos adequados e entendendo um pouco melhor sobre as técnicas de mixagem.

Uma coisa que eu aprendi em minha caminhada é que, ao contrário do que muitos dizem por aí, não é tão simples gravar em casa. Dá para fazer, mas precisamos aprender a tirar o melhor de nossa situação se quisermos chegar a resultados parecidos com o que escutamos nas produções de nossos artistas preferidos.

E nesse quesito, todo detalhe conta.

Então, separei algumas dicas que vão ajudar você na hora de gravar e mixar em seu home studio:

1 – Dicas para a captação:
Na hora de gravar com um microfone, não basta se posicionar na frente dele e mandar bala. É preciso escolher o melhor local do seu home studio para essa finalidade. Normalmente os cantos da sala funcionarão melhor para isso. Você deve se posicionar com as costas para o canto da parede, virado para o centro da sala, colocando o microfone na sua frente. Dessa forma, evitará o máximo possível o canto e evitará o centro da sala, onde as frequências que rebatem nas paredes se encontram.
Procure testar cada canto do seu estúdio e veja onde você consegue a melhor sonoridade, mas evite ficar com o microfone virado para a janela ou para qualquer outra fonte de ruídos externos.

Após encontrar o melhor ponto para se posicionar, procure a melhor posição para o microfone, de acordo com aquilo que você vai gravar e com o tipo de equipamento que você está usando. Microfones dinâmicos precisam estar mais próximos da fonte sonora. Já os condensadores, podem trabalhar com uma distância maior, pegando um pouco do som do ambiente.

Quando for apertar o REC, certifique-se de que os prés da placa estão com o volume adequado para aquilo que você vai gravar. Muitas vezes descuidamos deste ponto e aí, quando vamos ver o resultado, ou ficou baixo demais, ou ficou clipando, por excesso de volume de ganho, causando distorção do áudio. O ideal é manter o ganho alto o suficiente mas sem clipar, isto é, sem atingir o ponto vermelho de gravação.

2 – Dicas para a mixagem:
A primeira grande dica antes de iniciar a mixagem é ter certeza de que você está bem acostumado e seguro com os seus equipamentos de monitoramento de áudio. Trabalhar com equipamentos que você não conhece ou que não trazem uma fidelidade de frequências podem transformar o seu trabalho em um verdadeiro fiasco. Caso você não tenha monitores de referência ou não possa mixar com eles, tenha sempre uma trilha de referência para se basear. E sempre teste sua mixagem em diversas fontes sonoras, para saber que o som ficou o mais balanceado possível.

Outro ponto importante é, além de ter bons equipamentos confiáveis, saber posicionar bem a sua mesa de mixagem na sala. O aconselhável é que você consiga posicionar a sua mesa o mais centralizado possível no seu home studio, com um espaçamento da parede de trás, de cerca de 30 a 70cm. Isso ajudará você a evitar que as frequências embolem. Veja a arte abaixo para entender um pouco melhor a questão do posicionamento:

Ter um tratamento adequado na sala também vai te ajudar a ter melhores resultados em suas produções. Uso de difusores de áudio, bass traps (quebradores de canto) e espumas estrategicamente posicionadas ajudarão nesse tratamento de frequências.

Não esqueça também de fazer intervalos durante o processo de mixagem. Isso vai dar uma trégua para seus ouvidos e evitar que eles fiquem “viciados” na música, fazendo com que você comece a perder a percepção do que está fazendo. Intervalos de 15min a 30min são suficientes para que você possa dar uma limpada na mente e nos ouvidos.

Seguindo essas recomendações, com certeza você conseguirá melhorar ainda mais as suas gravações.

Vale lembrar que produção musical é um aprendizado contínuo e a evolução faz parte do processo. Portanto, não desanime se você ainda não está conseguindo resultados satisfatórios. Continue praticando que você vai chegar lá!

Abraços,