7 Dicas para melhorar as suas mixagens

Temos recebido muitos e-mails com dúvidas em relação à mixagem. E acabamos percebendo uma série de fatores que contribuem para que muitas mixagens acabem não saindo como o esperado.

Então, resolvemos trazer neste artigo algumas dicas para que você consiga melhorar as suas mixagens, alcançando resultados de maior qualidade.

1 – Verifique o que foi gravado
Antes de começar a mixar, verifique o que foi gravado, item a item. Veja se tem algo que poderia ter sido captado de uma forma mais adequada, se existe algum instrumento que precise ser editado ou lapidado antes de começar a mixagem propriamente dita. Muitas vezes o áudio foi captado em um estúdio e não há como regravar, mas se for possível melhorar essa captação de alguma forma, faça neste momento, antes de começar a mixagem. Um dos maiores segredos de uma boa produção é uma boa captação.

2 – Trabalhe com os faders
Procure sempre iniciar a sua mixagem com aquilo que particularmente considero os controles mais importantes de um estúdio: os faders de volume.
Levante os volumes de todos os instrumentos, dando seus devidos valores e posicionamentos, isto é, buscando uma primeira mixagem, sem usar nenhum periférico ou plugin.
Uma música bem captada pode soar bem apenas levantando os volumes e, desta forma, você já perceberá o que precisará ser trabalhado ou aquilo que precisará de uma atenção maior.

3 – Não trabalhe com instrumentos isolados
Uma coisa que muita gente faz e que pode ser um verdadeiro tiro no pé é mixar os intrumentos separadamente, solando os canais um a um, comprimindo e equalizando estes instrumentos sem ouvir o que está acontecendo no todo, isto é, no contexto da música. Devemos sempre lembrar que no final o que vai importar mesmo é como a música está soando no geral e não separadamente. Muitas vezes um instrumento pode estar soando maravilhosamente bem enquanto está sozinho mas, ao ser inserido com o restante dos instrumentos, ele acaba estragando a música. Isso não é uma regra, mas com certeza vai facilitar a sua vida e ajudar você a alcançar resultados melhores.

4 – Confira como a sua música está soando em MONO
Muitas pessoas gostam de explorar o PAN da música, trabalhando o STEREO e a “imagem 3D”. Isso de fato enriquece o projeto, trazendo um som muito atraente e deixando com um ar mais profissional. Porém, sempre que você trabalhar o STEREO da sua música, procure ouvir como ela está soando em MONO. Muitas vezes, ao ouvir em MONO alguns instrumentos que foram jogados para os lados acabam desaparecendo por completo. Fazendo pequenos testes durante a mixagem você vai conseguir detectar estes problemas e poderá corrigir. Não espere estar com o trabalho masterizado para perceber que aquele belo arranjo de guitarra sumiu quando estiver ouvindo no seu carro, por exemplo.

5 – Economize nos plugins
Já vimos alguns arquivos de mixagens que continham mais de 8 plugins por canal. Um verdadeiro exagero. Isso, além de ser desnecessário, acaba piorando o resultado esperado. Nestes casos, normalmente o que acontece é que o som foi mal captado e a pessoa está tentando corrigir um problema utilizando os plugins. Porém, aquilo que foi mal captado nunca soará perfeito. Então, nestes casos, tente buscar na equalização uma melhora significativa, sabendo das limitações do áudio original. E, sempre confira se o que você mudou realmente está melhorando o áudio original. Cuidado ao achar que, por estar soando mais alto, a qualidade melhorou. Na maioria das vezes é melhor atenuar frequências do que aumentar. Fique ligado nisso.

6 – Cuidado com os compressores
Compressores são ferramentas poderosas mas que devem ser usadas com sabedoria. Procure sem pre optar por compressões leves, com RATIO em no máximo 4:1. A partir desse valor o seu compressor começará a mudar o timbre de maneira brutal. Outro ponto importante é saber usar o tipo certo de compressão para cada tipo de caso. Existem vários tipos de compressores com características muito distintas e entender como cada um deles funcionam vai lhe ajudar bastante a saber qual escolher em cada tipo de situação.

7 – Simule um estúdio de verdade em sua DAW
Se você está gravando e mixando In The Box, ou seja, tudo dentro do computador, procure simular ao máximo uma situação real de estúdio. Existem muitos plugins que ajudam a criar essa simulação, com emulação de mesas e equipamentos analógicos. As gravações digitais tendem a ser muito transparentes e fiéis ao que foi captado e nossos ouvidos estão acostumados a ouvir e classificar músicas de qualidade quando estas foram gravadas em estúdios que possuem diversos equipamentos analógicos. Estes equipamentos possuem características próprias e deixam estas “marcas” no áudio, garantindo coloração e saturação de harmônicos que transformam os timbres e os tornam únicos. Verdadeiras marcas registradas. Aqui no Home Studio Brasil temos uma aula gratuita onde ensinamos como configurar a DAW para simular um verdadeiro estúdio de gravação. Para assistir a aula clique aqui.

Estas são algumas dicas sobre mixagem. Se você quiser entender melhor sobre o assunto, faça um cadastro em nossa newsletter e receba novidades sobre estes e outros assuntos, sempre em primeira mão.

Abraços